Nem toda luta é de vitória

 

Nem sempre a vitória é certa. Todos os dependentes químicos que enfrentam o tratamento, durante os seis meses, no Instituto Batalhão sabem que não é fácil. É uma luta diária em busca de um objetivo maior, a libertação. Inicialmente, a maior batalha é contra a abstinência, pois são pessoas que vivem décadas das suas vidas entregues às drogas. Nos primeiros quinze dias eles sentem falta e sentem diversas reações físicas por não estarem fazendo o uso dos entorpecentes.

Passado o período de abstinência vem a saudade da família, de casa, da rotina diária e a sensação de que já está curado. Muitos deles fraquejam e desistem do tratamento. Eles saem conscientes de que estão lutando contra o maior inimigo e enfrentando a pior guerra das suas vidas, onde só o foco e a determinação serão capazes de fazê-los vitoriosos.

Lamentamos pelos que desistem no meio do caminho, mas seguimos fortes acolhendo e dando todo o suporte para a maioria dos nossos guerreiros que continuam firmes na luta.

Deixe uma resposta